Gênero

Documentário

 

Filme Debret

Tipo Curta Metragem/ Sonoro
Material original 35mm, cor, 10 min, 274m, 24q, Eastmancolor
Data e local de produção 1972 - Rio de Janeiro, Guanabara - Brasil
Argumento/roteiro Rachel Sisson
Produtor Rachel Sisson
Produtor Associado  
Diretor Rachel Sisson
Diretor de fotografia Renato Neumann
Montagem Renato Neumann
Narração Ricardo Cravo Albin
Laboratório Líder Cinematográfica

Estúdio de som

Helio Barrozo
Certificados Censura Federal: boa qualidade, livre exportação
INC Classificação especial

 

O documentário mostra as aquarelas que Jean Baptiste Debret pintou no Rio de Janeiro e que serviram de modelo às estampas dos Volumes II e III de sua obra publicada, "Voyage Pittoresque et Historique au Brésil". Numa primeira parte, há um ligeiro histórico da viagem de Debret ao Brasil como membro da Missão Francesa, com menção feita ao bonapartismo dos artistas franceses, às suas atividades no Rio, à introdução do estilo neoclássico, à importância da litografia para a divulgação de sua obra, e à Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya, em cuja sede as aquarelas de Debret se encontravam expostas.       Aparecem, a seguir, várias de  suas aquarelas do Rio, sendo comentados o papel da religião na vida individual e coletiva, as atividades do negro em trabalhos de toda a natureza, bem como aspectos relativos à alimentação, à medicina, à arquitetura, à indumentária, aos festejos, e outros. O acompanhamento musical, com trechos especialmente compostos pelo maestro Guerra Peixe, sublinha o embate entre traços culturais europeus e africanos. Este documentário foi incorporado à exposição Memória da Independência (Museu Nacional de Belas Artes, 1972-1973) organizada pela Divisão Cultural do MEC.