R

 

 

FORMAÇÃO

 

1935

École Vinet - Lausanne, Suíça

1936/45

Cursos primário, ginasial e científico (até a 2ª série)

 

Colégio Andrews - Rio de Janeiro

1944

Aluna de Axel Lescoschek

1946/49

Departamento de Artes – Universidade da Califórnia Berkeley, Califórnia, Estados Unidos: Associate in Arts com menção honrosa

1949

Curso científico, (3ª série) Colégio Jurema - Rio de Janeiro

 

GRADUAÇÃO

 

1950/54

Curso de Arquitetura – Faculdade Nacional de Arquitetura Universidade do Brasil – Rio de Janeiro

 

APERFEIÇOAMENTO

 

1962

Aperfeiçoamento - 22/05 a 22/06 - Visualidade e estética Prof. Max Bense promovido pelo Museu de Arte Moderna - Rio de Janeiro

1963

Especialização - 04/02 a 03/05 – Planejamento Urbano promovido pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal no Rio de Janeiro sob os auspícios da ONU

 

Especialização – Sociologia Urbana Prof. José Arthur Rios ministrado no Instituto para o Desenvolvimento Social e Econômico mediante convênio com a Pontifícia Universidade Católica do – Rio de Janeiro

1967/68

Aperfeiçoamento - Estética Prof. Emmanuel Carneiro Leão. Colégio do Brasil - Rio de Janeiro

1968

Aperfeiçoamento I Ciclo de Conferências sobre Problemas de Sub-Habitação em Áreas Metropolitanas realizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, 5ª região – Rio de Janeiro

 

II Seminário de Arquitetura e Meio Ambiente – Tecnologia promovida pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado da Guanabara e pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, 5ª região sob os auspícios do Centro Nacional de Pesquisas Habitacionais - Rio de Janeiro

 

Evolução Urbana do Rio – Departamento de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura do Estado da Guanabara - Rio de Janeiro

1971

Monumentos Históricos e Artísticos da Guanabara - promovido pela Associação de Amigos do Museu da Cidade - Rio de Janeiro

 

Ecologia e Poluição – Problemas do Século XX - promovido pelo Centro de Orientação e Proteção Comunitária do Ministério da Educação e Cultura – Rio de Janeiro

 

Arte Barroca Mineira – 8 a 12 de novembro - Prof. Orlandino Seitas Fernandes promovido pelo Museu Nacional de Belas Artes - Rio de Janeiro

 

Paisagismo e Desenvolvimento Urbano – promovido pelo Centro Nacional de Pesquisas Habitacionais - Rio de Janeiro

 

O Processo de Comunicação - Prof. Zuenir Ventura promovido pelo Centro Nacional de Pesquisas Habitacionais - Rio de Janeiro

1972

Panorama da Arte Portuguesa no Contexto Cultural Europeu – 22 de maio a 14 de junho - Prof. José Antonio Ferreira de Almeida promovido pelo Centro de Estudos do Real Gabinete Português de Leitura - Rio de Janeiro

1973

Ciclo de Conferências Sobre Arqueologia Americana - Prof. Dick Ibarra Grasso promovido pelo Instituto Cultural Brasil Argentina da Embaixada da República Argentina - Rio de Janeiro

 

Escultura Colonial Mineira – em julho - Prof. Orlandino Seitas Fernandes promovido pela Associação do Museu da Cidade - Rio de Janeiro

 

I Seminário de Urbanização Turística - promovido pela Faculdade de Turismo do Morumbi e pelo Instituto Superior de Estudos Turísticos Internacionais de Tenerife - Rio de Janeiro

 

Curso de Introdução à Administração de Projetos - Prof. Moysés Lilenbaum

1977

Iluminação e Climatização das Coleções nos Museus – 12 a 19 de agosto - Prof. Gael de Guichen e promovido pela Associação dos Membros do ICOM-AMICOM, International Council of Museums, Comitê Brasileiro

1989

Introdução ao Desenho Urbano - Arquiteta Leila Vasconcellos e promovido pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil

 

PARTICIPAÇÃO EM ASSOCIAÇÕES

FACULDADE NACIONAL DE ARQUITETURA, DIRETÓRIO ACADÊMICO

1950

Participou do Departamento de Biblioteca

1951

Participou do Departamento de Intercâmbio e Cultura

eleita representante de turma (2º ano, turma A)

1953

eleita representante de turma (4º ano, turma A)

CREA

Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, 5ª região

IAB-RJ

Instituto de Arquitetos do Brasil Departamento do Rio de Janeiro Sócio titular nº 555

 

Membro do Conselho Deliberativo da Chapa eleita em 1981 e empossada para o período 82/83, reconduzida para os períodos 84/85, 86/87, 88/89, 90/91.

 

Membro do Corpo de Jurados do IAB - RJ para 82/83

 

Membro do júri da XVI Premiação Anual IAB - RJ, setor cinema

 

Membro do júri da XXV Premiação Anual IAB - RJ e Premiação Nacional

 

1988/89 - eleita para o Corpo de Jurados do IAB/RJ pela Assembléia Geral Ordinária de Associados, realizada a 10/12/87

 

Membro do corpo nacional de jurados para o biênio

SEAERJ

Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro

UIFA

Union Internationale de Fammes Architectes - Paris, França

ICOMOS

International Council of Monuments and Sites

 

Secretária-geral do Comitê Brasileiro 1978-80 reconduzida para o período 1980-1982.

ABEA

Associação Brasileira de Engenheiras e Arquitetas

 

Membro do Conselho Diretor, outubro de 1979

 

Membro do Conselho Consultivo, 1981/82

 

1985/1987: vice-presidente para o biênio

 

2003/2005: membro, Conselho Diretor

IHGRJ

Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro

 

sócia efetiva eleita em 8/12/83

1985, 87 e 89

membro da diretoria, no setor ciências auxiliares da história

1994/1995

Tesoureira

 

ATIVIDADES PROFISSIONAIS ARQUITETURA E URBANISMO

Exercícios em entidades governamentais

1962

Contratada como arquiteta pela Superintendência de Urbanização e Saneamento da Secretaria de Obras Públicas do Estado da Guanabara

 

Departamento de Habitação Popular

 

Secretaria de Obras Públicas, Estado da Guanabara

1962/65

Departamento de Parques e Jardins Secretaria

 

Secretaria de Obras Públicas, Estado da Guanabara

 

Seção de Projetos

PROJETOS APROVADOS

 

Depósito de instrumentos de jardinagens e sanitário - Praça Senador Salgado Filho

 

Projeto para remodelação da Praça Itália

 

Estudo para ajardinamento da Praça Estados Unidos e da área contínua à Igreja de Santa Luzia

 

Casa de boneca para playground

 

Laboratório para estudos de botânica

 

Projeto para praça situada no cruzamento da Avenida Maracanã com a Rua Barão de Mesquita

 

Projeto para plantios de jardineiras da Escola de Desenho Industrial do Estado da Guanabara

 

Playground para a Editora Brasil-América

 

Projeto para gaiola gínica

 

Projeto para o Largo da Glória

 

Projeto para agenciamento para a entrada do caminho aéreo para o Pão de Açúcar

 

Ante-projeto de orquidário

1966

 

Designada Assessor-símbolo 3F da Presidência da SURSAN (resolução do C.A. de 21/1/1966 com validade a partir de 15/02/66).

1967

Designada Assessor da Presidência da COHAB (Companhia de Habitação Popular do Estado da Guanabara) (ordem de serviço “P” nº 7 de 17/01/67)

Participação na elaboração do documento intitulado “Diagnóstico preliminar da conjuntura de Jacarepaguá - bases para a formulação de uma política habitacional integrada”

Participou da representação da COHAB ao II Encontro Nacional de COHABs

Designada Assessor da Secretaria Executiva da CEPE-3 (Comissão Executiva da Política Habitacional no Estado da Guanabara, a partir de 10/02/67 - ordem de serviço “P” nº 7/67 de 17/02/67.

1968/71

Escritório de Habitação da Coordenação de Planos e Orçamentos da Secretaria de Governo, posteriormente Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do Estado da Guanabara.

 

Participação em pesquisas e na elaboração de relatórios (texto e fotos) acerca de habitação de interesse social no Estado da Guanabara ; trabalhos realizados:

 

“Pesquisa em Conjuntos Residenciais de Interesse Social no Estado da Guanabara”

 

“Estudo sobre condomínio em conjuntos residenciais de Interesse Social no Estado da Guanabara”

 

“Estudo de Administração para Conjuntos Residenciais de Interesse Social e Modelo para Convenção de Condomínio em Edifícios”

 

“Delimitação das Áreas de Condomínio para Conjunto Habitacional de Interesse Social em Cordovil”

 

“Análise de Projetos de Habitações de Interesse Social”

 

“Casas de Cômodos e Cortiços”

 

Escritório de Programação Urbana da Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do Estado da Guanabara (criado pelo Decreto “N” nº 1059 de 7/5/68)

 

Participação nos seguintes trabalhos realizados pelo grupo de Serviços Humanos:

 

“Critério para a Caracterização de Habitações Sub-Normais”

 

“Levantamento Geral das Favelas do Estado da Guanabara”

 

“Levantamento das Obras de Serviços Urbanos realizados no Estado da Guanabara no decorrer de 1970“

1971/1975

Colocada à disposição da SEPE (Superintendência Executiva de Projetos Especiais, depois CEPE - Coordenação Executiva de Projetos Especiais) da Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral (processo nº 05/1000742/71); principais trabalhos realizados:

1971

Colaboração na “Exposição de Motivos” da publicação intitulada “Parque Estadual da Pedra Branca”, editada pela Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral do Estado da Guanabara;

1972

Designada Presidente do Grupamento Interprofissional encarregado da elaboração do Plano Diretor da XXI Região Administrativa - Paquetá e Ilhas (portaria “P” SEPE nº 40 de 19/4/1972)

 

Designada para o Grupo de Trabalho encarregado de elaborar os projetos paisagísticos das áreas de competência normativa da SEPE (portaria “P” SEPE nº 7 de 28/01/1972)

1973

Incluída no Grupo de Trabalho constituído pela portaria “P” SPG nº 20 de 18/07/1972 (Áreas Verdes) para participar na elaboração do relatório propondo todas as medidas necessárias à criação e implantação do Parque Estadual da Pedra Branca (portaria “P” SPG de 19/01/1973)

 

Designada Chefe do Serviço de Urbanismo da Divisão de Estudos e Projetos da SEPE (portaria “P” de 16/02/1973)

 

Elaboração do documento intitulado “Plano Diretor da XXI R.A. - Paquetá e Ilhas”

 

Efetivada com validade a partir de 15/03/1967 no cargo de arquiteto nível 1 (Decreto “P” 1533 de 17/05/1974)

 

Removida da Secretaria de Obras Públicas para a Secretaria de Planejamento e Coordenação Geral (portaria “P” nº 343 da Secretaria de Administração)

 

Nomeada para exercer o cargo em comissão da Assistente símbolo DAS-6 da Assessoria de Projetos Especiais do Departamento de Obras e Serviços Públicas da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro (Decreto de 9/7/1975 do Prefeito do Município de Rio de Janeiro, publicado no DOM de 10/07/1975)

1976

Colocada à disposição do Estado do Rio de Janeiro (cf. Decreto de 05/03/76) sem prejuízo de vencimento e demais vantagens (publ. DOM, 08/03/76, P.12, Proc. E03/61113/75)

 

Nomeada para exercer o cargo em comissão de Diretor da Divisão do Patrimônio Histórico e Artístico, símbolo DAS-6, do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, do Departamento de Cultura, da Secretaria de Educação e Cultura, do Quadro Permanente do Estado do Rio de Janeiro (publicado no D.O. de 9/06/1976, p.12)

1977

Investida na função de Secretário-Executivo do Conselho Estadual de Tombamento, instituído na Secretaria de Estado de Educação e Cultura, através do Decreto de 22 de setembro de 1977 do Senhor Governador do Estado do Rio de Janeiro, ato publicado no D.O. de 23 de setembro de 1977, à página nº 24

1979

Exonerada, a pedido, do cargo em comissão de Diretora da Divisão do Patrimônio Histórico e Artístico, símbolo DAS-6, do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, do Departamento de Cultura, da Secretaria do Estado de Educação e Cultura, do Quadro de Permanente do Estado do Rio de Janeiro, ref. ao processo nº E-03/7501/79 (publicado em 30/03/79 nomeada a pedido, da Secretaria Executiva do Cons. Est. de Tomb.).

1979

Designada, com eficácia a partir de 03 de maio de 1979, para ter exercício na Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (public. Diário Oficial, 10/05, parte IV)

 

Designada para ter exercício no Departamento Geral de Obras Públicas da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos da Cidade do Rio de Janeiro (portaria do Chefe de Gabinete da SMOSP, de 29 de maio de 1979)

 

Removida, da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos para a Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral (Portaria do Chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Administração, de 31 de agosto de 1979, publicada no Diário Oficial de 3 de setembro de 1979, parte IV)

1980

15/08, Portaria “P” nº 04 - designada para ter exercício na Superintendência de Planejamento

1981

16/07, publicada no D.O. - inclui-se pelo prazo de um ano no Regime de Tempo Integral, instituído na Lei nº 148/79, com eficácia a partir de 06/08/81

1982

20/09, Portaria “P” nº530 - mantida no Regime de Tempo Integral com a eficácia a partir de 06/08/82 pelo prazo de 1(um) ano

1983

07/03, Portaria “P” nº - incluída no Regime de Tempo Integral com eficácia a partir de 21/02/83

1985

16/07, retificado para ARQUITETO, CLASSE ESPECIAL, ref. 55, com eficácia a partir de 01/11/82, o enquadramento definitivo anteriormente formalizado pelo Decreto 3798/82

1987

08/12, - Decreto “P”, nº 2013 - nomeada para exercer o cargo em comissão de Diretor de Centro, símbolo DAS-7, do Centro de Informações Técnicas da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano.

1989

31/03, - Decreto “P”, nº1355 - concedida exoneração, com eficácia a partir de 03 de março de 1989, do cargo em comissão de Diretor de Centro, símbolo DAS-7, do Centro de Informações Técnicas da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (antiga Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano) extinto pelo Decreto nº8.377, de 28/02/89

1989

21/07, - Portaria U/DAD “P” nº 116 - designada para ter exercício no Gabinete do Secretário

1991

Aposentada da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro através da Resolução nº 2408, publicada no DOM de 06/05/91 (Proc. nº 02/001.034/91) nos termos

1994

Cargo em comissão na Secretaria Municipal de Obras, Editor-Chefe da Revista Municipal de Engenharia

2002

Diário Oficial, 09/01/2002 – Dispensada da F. G.

 

 TRABALHOS PUBLICADOS

 

1945

(28/10) Tribuna Popular – retrato desenhado de Jorge Amado. (dez) Leitura, p. 8 - desenho a nanquim.

1954

HABITAT nº 8 p.p 26 a 30 “Uma estudante em viagem”.

1954/60

artigo publicados na revista Casa e Jardim sobre arquitetura, paisagismo e decoração.

 

 

“Um arquiteto constrói para si uma casa fora da rotina” – julho/agosto

 

 

“Eis um sonho realizado” – julho/agosto

 

 

“Conforto e simplicidade” – setembro/outubro

 

 

“Elementos vazados” – setembro/outubro

 

 

“2 núcleos em 1 bangalô” – novembro/dezembro

 

 

“Fantasia com flores e frutos” – novembro/dezembro

1955

 

“Jardineiras” – janeiro/fevereiro

 

 

“Os jardins de Roberto Burle Marx” – março/abril

 

 

“Biombos como barreiras”

 

 

“Abrigo provisório” – dezembro

 

 

“Decorar um apartamento” – dezembro

1956

 

“É fácil construir um sauna para seu lar” – janeiro

 

 

“A granja Santa Mônica”

 

 

“Tecidos de Lili Corrêa de Araujo” – fevereiro

 

 

“Sergio Bernardes  projetou esta casa” – março

 

 

“Entre morro e mar” – junho

 

 

“Pequeno detalhe, grande diferença” – julho

 

 

“Residência de veraneio” – agosto

 

 

“Onde posso brincar?” – agosto

 

 

“Proteção contra o calor”

 

 

“Escolhemos morar no alto da serra” – dezembro

 

 

“Se você sonhar com um jardim...” – dezembro

1957

 

“É possível viver uma obra de arte” – janeiro/fevereiro

 

 

“Dois pavimentos sobre um grande terreno” – março

 

 

“Como esconder as mesas”

 

 

“Cercas para jardins” – maio

 

 

“Pratos de madeira”

 

 

“Proporções e detalhes definem uma arquitetura” – dezembro

1958

 

“Residência em três níveis” – março/abril

 

 

“O terreno pode estar inclinado” – março/abril

 

 

“Quatro recantos do lar” – maio

 

 

“É mais fácil decorar quando o cliente colabora” – junho

 

 

“Uma casa, um lar” – junho

 

 

“De panorama a panorama”

 

 

“Piscina à beira – mar” – agosto

 

 

“Moderno é sinônimo de informal ?” – agosto

 

 

“Dê um jeito em minha casa ...” – setembro/outubro

 

 

“Vale a pena chamar um decorador ?” – novembro/dezembro

1959

 

“Versão moderna da casa grande” – maio

 

 

“Dois arquitetos , um só apartamento” – julho

 

 

“Casa na vertical” – agosto

 

 

“Decorando e simplificando” – setembro

 

 

“Casa forte” – setembro

1960

 

“Entre grama e floresta” – janeiro

 

 

“Natureza sugere arquitetura” – junho

1964

ARQUITETURA nº 19, p.p  8 e 9 “Prêmio IAB -GB 1963 - Play ground” arquiteta Rachel Esther Prochnik

 

HABITAT nº 77, maio/junho 64, p.p 31 e 32: “Play ground no Brasil”

1966

“Desenvolvimento Urbano – Implicações para Bem Estar Social”

 

tese brasileira apresentada à XIII Conferência Internacional de Serviço Social Washington, Estados Unidos

 

-coordenação da elaboração da tese

 

-coordenação no preparo do texto

1969

“Roberto Burle Marx”

texto para o áudio – visual produzido pelo Instituto Nacional do Cinema

1972

“Paisagismo”

 

“Roberto Burle Marx”

 

Verbetes da Enciclopédia Mirador Internacional

(direção do Prof. Antônio Houaiss)

1975

julho - Jornal de Arquitetura – Instituto de Arquitetos do Brasil/GB e Sindicato dos Arquitetos do Estado da Guanabara nº 25, Ano III, p.3

1977

“Cenografia e vida em Fogo Morto” – Artenova/Embrafilme - Rio de Janeiro com introdução de Leandro Tocantins

1980

“Boletim SEAERJ” – abril - inventário de bens imóveis e a proteção do patrimônio. Rio de Janeiro, p.7.

1981

“COFI - Correio Filatélico” – Monumento ao Cristo Redentor (1931-1981). Rio de Janeiro, p.17-19.

 

Texto do edital para a emissão do selo comemorativo dos 50 anos do Monumento ao Cristo Redentor – ECT

1982

“Patrimônio histórico, uma experiência no Rio de Janeiro: o inventário de bens imóveis de interesse histórico e artístico, objetivos, métodos e resultados. Rio de Janeiro, Lidador.

 

“Políticas Setoriais PUC-RIO”. Rio de Janeiro, vol.II: 166-188. Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

 

“Arquitetura e urbanismo semiologia e História” – fevereiro - O Estado do Paraná. Curitiba.

1983

“Os três centros do Rio” – outubro/dezembro - Revista Municipal de Engenharia, Rio de Janeiro, vol.XXXIX: 55-71. Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro (publicado em 1985).

1984

“Devotional architecture and shoreline landscape in Rio de Janeiro”. Marinha do Brasil, Hidrografia e Navegação, Anais Hidrográficos, Tomo XLI (Suplemento), pp. 677-691.

1985

“Marcos históricos e estruturas espaciais”. AB-Arquitetura Brasileira. Rio de Janeiro, 17: 81-96.

 

“Historic landmarks and spatial structures”. AB-Arquitetura Brasileira, Rio de Janeiro, 17:97-104

1986

“Marcos históricos e configurações espaciais. Arquitetura Revista, Rio de Janeiro, 4:56-81, FAU-UFRJ.

1987

“Rio de Janeiro as capital”. Rio de Janeiro, ICOMOS/Brazil.

1989

“Rio de Janeiro: espaço e História”. Revista Comemorativa dos 25 anos da Carta de Veneza. São Paulo, 34-36, Comitê Brasileiro do ICOMOS.

1990

“Rio de Janeiro, 1970/1945: Escolas Públicas do Primeiro Grau-Inventário, Tipologia, História”. Arquitetura Revista, Rio de Janeiro, 8: 63-78, FAU-UFRJ.

 

“As inundações do Rio de Janeiro” – janeiro/dezembro - Revista Municipal de Engenharia, Rio de Janeiro, vol. Xl,1/4: 64-90, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro (como colaboradora do Eng.º. José de Oliveira Reis).

 

“Pereira Passos e sua época” – janeiro/dezembro - Revista Municipal de Engenharia, Rio de Janeiro, vol. XLI, ¼: 107-109, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

1991

“Arquitetura e Positivismo no Rio de Janeiro do Oitocentos” – novembro - Revista de 1ª Copa (Coordenación para el Patrimonio Arquitectonico de las Américas), Rio de Janeiro, Ano I, 1: 12-19 (versão em espanhol e inglês)

1999

“D. João VI e a Cidade Contemporânea”, anais do Seminário

 

CINEMA

 

DOCUMENTÁRIOS

 

1969

“ROBERTO BURLE MARX” – cores, 35mm

·         Produção associada, co-direção, pesquisa, roteiro, títulos e textos (português, inglês e francês);

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC.

1969

“GLÓRIA DO OUTEIRO” - cores, 35mm

·         Produção associada, co-direção, pesquisa, roteiro, títulos e textos (português, inglês e francês);

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC.

1970

“FESTA DE NOSSA SENHORA DA PENHA” – preto e branco, 35mm

 

·         Produção associada, co-direção, pesquisa, roteiro;

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC.

1970

“POLUIÇÃO” - cores, 35mm

·         Co-direção, pesquisa, roteiro, texto;

·         Produzido pelo INC

1971

“A PAIXÃO SEGUNDO ALEIJADINHO” - cores, 35mm

·         Produção associada, co-direção, pesquisa, roteiro, textos;

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC.

1972

“DEBRET: AQUARELAS DO RIO” - cores, 35mm

·         Produção, direção, pesquisa, roteiro, textos;

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC;

Premiação: “Os melhores de 72”, do Instituto Nacional do Cinema: prêmio INC e Troféu Humberto Mauro, 1º lugar pela  direção desse documentário.

1973

“CONVENTOS FRANCISCANOS I: SANTO ANTONIO, JOÃO PESSOA” – cores, 35mm

·         Co-direção, pesquisa, roteiro, texto;

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC;

·         Premiação: “Os melhores de 73”, do Instituto Nacional do Cinema; indicada entre os diretores de filmes em curta metragem concorrentes ao prêmio do INC e ao Troféu Humberto Mauro.

1973

“A IDADE DO OURO” - cores, 35mm

·         Direção, pesquisa, roteiro, texto;

·         Produzido pelo INC.

 

“FAZENDA DE CAFÉ: MEMÓRIAS” - cores, 35mm

·         Produção, direção, roteiro, texto;

·         Direitos de contratipagem adquiridos pelo INC;

Premiação: “Os melhores de 74”, do Instituto Nacional do Cinema: prêmio do INC e Troféu Humberto Mauro, 3º lugar, pela direção.

 

CENOGRAFIA

1974

Atuou como cenógrafa no filme “FOGO MORTO” baseado na obra de José Lins do Rego (ver trabalhos publicados).

 

VII ATIVIDADE DIDÁTICAS, PALESTRAS E CONFERÊNCIAS

 

1959

A arquitetura a serviço da educação – conferência proferida sob os auspícios da OMEP (Organização Mundial para o Ensino Pré-Primário), por ocasião da preparação da Oitava Assembléia Mundial da entidade (06 a 10 julho)

1969 / 1972

Cadeira de arquitetura paisagística na Escola de Jardinagem do Departamento de Parques da SURSAN (Superintendência de Urbanização e Saneamento) da Secretaria de Obras Públicas do Estado da Guanabara

1972

Aspectos históricos dos jardins da Guanabara – palestra proferida a convite da Sociedade Brasileira de Jardinagem (09 de outubro)

1973

A missão artística de 1816 – palestra de encerramento do curso Ciência e Artes no Brasil de D. João VI, promovida pelo Centro de Estudos do Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro (31 de maio). Nome incluído no quadro de Conferencistas Honorários, cf. ofício de 07/06/1973.

1974

A realização de curta metragem de interesses cultural – palestra acompanhando a “Exibição de Filmes sobre Arquitetura e Artes Plásticas” de Rachel Sisson, promovida pela Fundação Cultural de Curitiba no Teatro Paiol, 22/11/1974, 20:30 horas.

1977

Patrimônio cultural, monumentos, documentos e museus – palestra proferida como parte do 1º Ciclo de Palestras sobre Museus, promovido pelo Diretório Acadêmico Gustavo Barroso, do Curso de Museologia da FEFIERJ (Federação das Escolas Federais Isoladas do Estado do Rio de Janeiro), Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro (16 de junho).

 

Inventário de bens imóveis de interesse Histórico e Artístico do Estado do Rio de Janeiro: Objetivos e Métodos – palestra inaugural, proferida na sede da Fundação Educacional Severino Sombra, do Curso para Inventariantes promovido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural da Secretaria Estadual de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro – Município Vassouras, Cabo Frio, RJ (27 de junho).

 

Inventário de bens imóveis de interesse Histórico e Artístico – palestra proferida na Faculdade de Arquitetura de Barra do Piraí, introdutória ao curso para Inventariantes promovido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Departamento de Cultura da Secretaria Estadual de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro

 

Debatedora no grupo Patrimônio Histórico e participante da comissão encarregada de redigir as recomendações desse grupo no Encontro do Patrimônio Cultural promovido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Departamento de Cultura da Secretaria Estadual de Educação e Cultura em Cabo Frio (24 a 26 de junho).

1978

Inventário de bens imóveis de interesse Histórico e Artístico: objetivos e métodos – palestra proferida em plenário, no IV Simpósio de História do Vale do Paraíba, realizado em Vassouras, foi acompanhada pela exibição do documentário em curta-metragem Fazenda de Café: memórias (05 de setembro).

1979

Inventário de Bens Imóveis de Interesse Histórico e Artístico palestra proferida como parte do painel “Patrimônio Cultural de Petrópolis”, no I Seminário Petropolitano de Ecologia, promovido pela APANDE – Associação Amigos de Petrópolis – Patrimônio, Proteção dos Animais, Defesa da Ecologia (30 de junho).

 

Preservação da memória cultural e turismo” – palestra proferida no 1º Encontro Regional para Preservação da Qualidade de Vida, realizado por ocasião das comemorações do 120º aniversário da criação do Município de Casimiro de Abreu e coordenado pela Casa de Casimiro de Abreu/FEMURJ (Federação Estadual de Museus do Rio de Janeiro) – 22 de setembro.

 

Inventário de bens Imóveis de interesse Histórico e Artístico – palestra proferida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro como parte do ciclo “Patrimônio Histórico”, promovido pelo Deptº de História e Teoria (10 de outubro).

1980

Urbanismo e arquitetura no Rio de Janeiro no período Neoclássico – palestra proferida como parte do curso “O século XIX através das artes decorativas”, realizado acompanhando a exposição sobre o mesmo tema no Museu do Primeiro Reinado (da Superintendência de Museus da Fundação de Artes do Rio de Janeiro (08 de maio).

 

Exposição, acompanhada de debates, sobre o trabalho apresentado e premiado na XVII Premiação Anual do Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro (29/05).

1981

Debatedora representando a Secretaria Municipal de Planejamento no PROGRAMA MEMÓRIA, por ocasião do depoimento do Engenheiro José de Oliveira Reis tomado na Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (junho).

 

Cinqüentenário do monumento ao Cristo Redentor e o Patrimônio Histórico e Artístico do Rio de Janeiro – palestra proferida a convite da Associação Brasileira de Engenharias e Arquitetas no Clube de Engenharia como parte da programação cultural daquele clube (24 de setembro).

 

O Cristo Redentor do Rio de Janeiro – palestra proferida no Museu Nacional de Belas Artes, a convite da Associação Brasileira de Museologia (24 de novembro).

1982

Patrimônio Histórico – palestra proferida para os alunos do Curso de Museologia, convite da Museóloga e Professora Solange de Sampaio Godoy.

 

Política de proteção de monumentos e sítios – palestra proferida na apresentação de trabalhos da P/SPU/CET (Coordenação de Estruturação Urbana da Superintendência de Planejamento Urbano da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral (26/04 a 06/ de maio).

 

Pesquisa tipológica sobre edificações escolares do município do Rio de Janeiro – apresentação de trabalho, em colaboração com a arquiteta Sonia Neder, através de palestra proferida na apresentação de trabalhos da P/SPU/CET (Coordenação de Estruturação Urbana da Superintendência de Planejamento Urbano da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral (26/04 a 06/ de maio).

 

Patrimônio Histórico e Estrutura Urbana - palestra proferida na apresentação de trabalhos da P/SPU/CET (Coordenação de Estruturação Urbana da Superintendência de Planejamento Urbano da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral (26/04 a 06/ de maio).

 

Palestras e debates sobre o trabalho apresentado e premiado na XIX Premiação Anual do Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro, em 1981, na categoria “trabalhos  escritos” e intitulado “Patrimônio Histórico e Estrutura Urbana: Três Ensaios”

 

Legado Histórico e estrutura urbana – palestra proferida no Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro.

1982

Patrimônio Cultural e Estrutura Urbana – conferência proferida no Museu Nacional de Belas Artes como parte de uma série contando 13 conferencistas no curso Aspectos da Criatividade Humana, de iniciação à história da arte (27/05 a 13/julho).

 

A dimensão histórica do paisagismo urbano – aula inaugural do curso Paisagismo Urbano promovido pela ABAP – Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas e pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro (21 de julho).

1983

Avaliação e perspectivas do patrimônio cultural fluminense – palestra proferida como parte do Seminário sobre o Patrimônio Cultural Fluminense promovido pelo Instituto Superior de Cultura Brasileira (09 de maio).

 

Participou como representante do Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro, do debate Planejamento Urbano versus Preservação Ambiental, promovido pelo mesmo (09 a 11 de maio).

 

Debatedora convidada para o Grupo IV – Assentamento Humanos, do tema Meio Ambiente no Simpósio sobre Habitação e Assentamentos Humanos promovido pelo Departamento de Arquitetura e Urbanismo do Museu de Arte Moderna (28 a 30 de junho e 1º de julho).

 

O bairro da saúde, sua importância Histórica, Arquitetônica, Cultural e residencial para a cidade - Participou da reunião como debatedora representando o Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro, da 1ª Quinzena de Debates sobre o Bairro da Saúde, promovido pela Associação de Moradores e Amigos da Saúde (07 de agosto).

 

Os três centros do Rio: a linguagem do poder e a estrutura urbana – palestra proferida no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (11 de agosto).

1984

Debret: aquarelas do Rio – palestra proferida no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, com exibição de documentário cinematográfico em curta metragem, do mesmo nome, dirigido e produzido pela palestrante (15 de março).

 

Devotional Architecture and Shoreline Landscape in Rio de Janeiro – palestra proferida na V Reunião Internacional de História da Naútica e da Hidrografia, realizada sob os auspícios do Comitê Internacional de História da Náutica e da Hidrografia e organizado pelo Serviço de Documentação Geral da Marinha, Rio de Janeiro (11 de outubro).

 

Os três centros do Rio – palestra proferida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como parte do Ciclo Comemorativo do 35º Dia Mundial do Urbanismo, a convite da Arquiteta e Urbanista Ione Silveira, sub-coordenadora do Curso de Urbanismo do Departamentos de Planejamento Urbano e Regional daquela Faculdade (07 de novembro).

1985

Debatedora na mesa redonda promovido pelo Espaço BNDES acompanhando a mostra Roberto Burle Marx (28 de maio). Participantes: Jorge Machado Moreira, Mario Barata, Marc Berkowitz, Gastão de Holanda, Luiz Emygdio de Mello Filho.

 

Palestra sobre a “Estruturação do espaço urbano”, como parte do curso de extensão universitária Antropologia do Espaço Urbano – A Cidade como Espaço entre Poder e Criação, promovido pelo Fórum de Ciência e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro (26 de junho), com Oscar Niemeyer (17/06), Milton Santos (19/06), Emmanuel Carneiro Leão, Jair Ferreira dos Santos (10/06), Muniz Sodré (03/06), Lygia Pape (24/06).

 

Os três centros do Rio: marcos históricos e a organização do espaço local e nacional – promovida pela ABEA – Associação Brasileira de Engenheiras e Arquitetas (07 de outubro).

 

Arquitetura devocional e paisagem litorânea no Rio de Janeiro colonial – palestra proferida no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (12 de dezembro).

1986

Participou como conferencista no painel “Pereira Passos e sua época”, realizado no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro no qual participaram o Eng. José de Oliveira Reis e a historiadora Miridan Britto Falci (10 de julho).

1987

Deslocamento dos centros do poder do Rio de Janeiro – Praça XV, Praça da República e Praça Floriano – palestra proferida no seminário “Praças do Rio, uma História a contar”, realizado no Paço Imperial acompanhando a exposição “Praças da Europa”, promovida pela Comunidade Européia a convite do Ministério da Cultura/SPHAN/Pró-Memória (22 de abril).

 

Centralidade Histórica e Intervenções no centro do Rio e Janeiro – palestra proferida no painel “Intervenção”, a convite do Comitê Brasileiro do ICOMOS (Internacional Council on Monuments and Sites) no Seminário promovido pela entidade sobre centros Históricos, realizado em Itaipava, Petrópolis no CENTRECON – Centro de Estudos e Conferências da CAEFB – Ministério das Minas e Energia (01 de julho).

1988

A contribuição dos marcos religiosos para a organização do território urbano no Rio de Janeiro colonial – palestra proferida no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (10 de março).

1989

Debatedora e coordenadora da mesa-redonda “Comitês Temáticos-Coordenação” – realizada acompanhando o Seminário “Vespuciana-Encontro de Civilizações nas Américas” promovido pelo Comitê Brasileiro do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites), patrocinado pela Prefeitura Municipal de Cabo Frio (03 de outubro).

 

A Carta Internacional de Sítios Históricos – palestra proferida no III Seminário organizado pelo Comitê Brasileiro do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites) intitulado “Vespuciana-Encontro de Civilizações nas Américas” (03 de outubro).

 

Rio de Janeiro – Espaço e História – palestra proferida no Museu de Arte de São Paulo por ocasião da “Jornada Comemorativa dos 25 Anos da Carta de Veneza”, organizada pelo Comitê Brasileiro do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites) (24 de outubro).

1990

A contribuição dos marcos históricos para a centralidade do Centro – palestra proferida na Câmara Municipal do Rio de Janeiro por ocasião do Seminário Viva o Centro, promovido pelo Vereador Tito Ryff (26 de novembro).

1991

O Cristo Redentor do Rio de Janeiro – palestra proferida no Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro (11 de abril).

Palestra proferida no painel “A situação dos bairros centrais nas grandes cidades: preservação e revitalização” no Seminário “Patrimônio Histórico – um Futuro para Nosso Passado”, realizado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (05 de maio).

 

Paisagem e História – palestra proferida no “Encontro: Memória e Ambiente” promovido pela APANDE – Associação Amigos de Petrópolis – Patrimônio, Proteção dos Animais, Defesa da Ecologia e pelo Comitê Brasileiro do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites), patrocinado pela APANDE e pela Prefeitura Municipal de Cabo Frio, realizado em Cabo Frio (08 a 11 de agosto).

1992

Aula inaugural na solenidade de abertura do ano letivo proferida a convite da direção da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, versando sobre “Espaço e História no Rio de Janeiro” (09 de abril).

 

Os ‘Cuores’ da Cidade – palestra proferida na Universidade Santa Ursula (29 de abril).

 

Glaziou & Parques e Jardins – 100 anos de permanência no paisagismo carioca” – participação como debatedora convidada no Painel de Debates: a Influência Francesa no Paisagismo Brasileiro” (01 de fevereiro).

1999

“O Rio de Janeiro contemporâneo e o legado de D. João VI” palestras proferidas como participante na mesa redonda sobre o tema, por ocasião do seminário “D. João VI: um rei aclamado na América”, promovido pelo Museu Histórico Nacional (22/10)

2000

“Espaço e História no Rio de Janeiro”, Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro, sessão ordinária,  palestra proferida na segunda parte do programa “Brasil 500 anos” (11/05)

2002

“Evolução urbana da colônia até 1930” painel número 1 do ciclo de palestras “Evolução do Urbanismo no Rio de Janeiro”, promovido pelo Centro Cultural da SEAERJ (20/08).

 

CONGRESSOS, ENCONTROS, SIMPÓSIOS E SEMINÁRIOS

 

1965

8º Congresso da UIA – União Internacional de Arquitetos – Paris.

1966

XIII Conferência Internacional de Serviço Social – Washington D.C., USA.

 

II Encontro Nacional de COHABs – participou como assessora da equipe da COHAB-GB.

1968

I Ciclo de Conferências sobre Problemas de Sub-habitação em Áreas Metropolitanas – IAB, Departamento da Guanabara, sob o patrocínio do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia da 5ª Região.

1970

II Seminário de Arquitetura e Meio Ambiente – Tecnologia – promovido pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado da Guanabara e pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia da 5ª Região, sob os auspícios do Centro Nacional de Pesquisas Habitacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

1971

Ecologia e Poluição-Problema do Século – Ciclo de conferências promovido pelo Centro de Orientação e Proteção Comunitária do Ministério da Educação e Cultura.

1973

Simpósio sobre o Desenvolvimento Urbano – promovido pelo B.N.H – Banco Nacional da Habitação, Rio de Janeiro.

 

Seminário sobre Shopping Centers – promovido pelo BNH – Banco Nacional da Habitação.

 

I Seminário sobre Urbanização Turística – Rio de Janeiro.

 

I Seminário Nacional sobre o Lazer – Curitiba, Paraná , promovido pelo IPPUC (Instituto de Pesquisas e Planejamento Urbano de Curitiba) e pela Fundação Cultural SESC (Serviço Social do Comércio), participou a convite da Fundação Cultural de Curitiba.

1976

Encontro Nacional de Patrimônio Histórico e Artístico – promovido pela Secretaria de Educação e Cultura, Departamento de Cultura, Instituto Estadual do Patrimônio Cultural; realização: Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu; coordenação Instituto Histórico e Geográfico de Nova Iguaçu.

 

Congresso da U.I.F.A. – Union Internationale de Femmes Architectes, Ramsar, Iran. Tema principal “Identidade Cultural em Arquitetura”

1978

Encontro do Patrimônio Cultural no Município de Macaé – promovido pelo Departamento de Cultura da Secretaria Estadual de Educação e Cultura/RJ.

 

Encontro do Patrimônio Cultural no Município de Paraty– promovido pelo Departamento de Cultura, SEEC/RJ.

 

Encontro do Patrimônio Cultural no Município de Paraíba do Sul – promovido pela Prefeitura Municipal de Paraíba do Sul.

 

Seminário Prevenção e Segurança em Museus – promovido pela Associação de Membros do ICOM-AMICOM – the International Council of Museums – Comitê Brasileiro e a Fundação Nacional de Arte-FUNARTE.

 

IV Simpósio de História do Vale do Paraíba – promovido pelo Instituto de Estudos Valeparaibanos, com diploma recebido de Membro Honorário.

 

Seminário sobre Restauração e Revitalização de  Núcleo  Históricos – no IBAM – Instituto Brasileiro de Administração Municipal.

 

Encontro do Patrimônio Cultural no Município de Teresópolis – promovido pela Departamento de Cultura da SEEC/RJ, pela Prefeitura Municipal de Teresópolis e pela Fundação Pró-Arte.

 

Encontro de Animação Cultural, Município de São Pedro da  Aldeia - promovido pela Departamento de Cultura da SEEC/RJ.

 

Encontro de Animação Cultural, Município de Casimiro de Abreu - promovido pela Departamento de Cultura da SEEC/RJ.

 

Symposium Interamericano de Conservación del Patrimonio Artistico – organizado pelo Instituto Nacional de Bellas Artes, México.

 

Primera Reunion Hemisferica de Coordinacion del ICOMOS – International Council on Monuments and Sites – Guanajuato, México.

1979

Encontro Regional de Cultura – Vassouras.

1980

Colóquio sobre Revitalização dos Centros Históricos e Participação da Comunidade – Salvador, Bahia, organizado pelo ICOMOS (International Council on Monuments and Sites), participou da redação do documento final.

 

I Encontro sobre Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural – promovido pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/SPHAN e pelo Governo do Estado da Bahia; Salvador.

 

Congresso de Preservación del Patrimonio Arquitectónico y Urbanistico Americano – organizado pela Federação Argentina de Sociedades de Arquitectos y Ediciones Summa, sob os auspícios da Secretaria de la Cultura de la Nación, Buenos Aires.

1981

VII Congresso Nacional de Museus – realizado no Serviço de Documentação Geral da Marinha e organizado pela Associação Brasileira de Museologia.

1984

Seminário Municipal sobre o Desenvolvimento Urbano da Cidade do Rio de Janeiro – promovido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral e realizado na SEAERJ – Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Rio de Janeiro.

1987

Seminário SPOT – promovido pela SENSORA – Sensoriamento e Interpretação de Recursos Naturais Ltda, Rio de Janeiro.

1988

Seminário sobre a preservação do patrimônio cultural da Amazônia – patrocinado pelo governo do Estado do Pará e pelo Comitê Brasileiro do ICOMOS (International Council on Monuments and Sites), Belém do Pará

1990

9eme Assemblée Générale et Colloque International de l’ICOMOS - International Council on Monuments and Sites, Lausanne, Suíça

1996

Painel “Archicteture and Urbanism”, Third Conference, BRASA, Brazilian Studies Association, organizada pelo Centre of Latin American Studies, Cambridge University, Inglaterra

 

PREMIAÇÕES

Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento Guanabara, tornado Departamento do Rio de Janeiro em 1975

1963

I Premiação Anual: PRÊMIO, na categoria Arquitetura, com Projeto para Play Ground; parecer do júri:

 

“A autora conseguiu, com a concepção plástica adotada, uma nova solução para os espaços destinados à recreação infantil, determinando condições múltiplas de uso, o que promoverá um incentivo à atividade imaginativa da criança. É um trabalho que se recomenda sob todos os pontos de vista, merecedor, por tanto, do prêmio que lhe foi atribuído”.

1975

XIII Premiação Anual: MENÇÃO HONROSA, na categoria Planejamento Urbano e Regional, com o Plano Diretor para a XXI Região Administrativa – Paquetá e Ilhas (colaborador: Karl H. J. Sass); parecer do júri:

“Apesar de o trabalho se constituir quase que somente de textos, o seu conteúdo se constitui em um plano de valorização, recuperação e desenvolvimento da ilha de Paquetá. A propriedade e singeleza das medidas e soluções propostas expressam a preocupação de preservar a paisagem, a ambientação e os valores culturais da ilha. Como zona de lazer, Paquetá foi tratada pela autora com bastante objetividade e realismo. As proposições levam em consta a origem dos usuários, evitando soluções extravagantes e pretensiosas”.

1976

XIV Premiação Anual: PRÊMIO, na categoria Trabalhos Escritos, com Arquitetura, Cinema, Tradição: Cenografia e Vida em FOGO MORTO; parecer do júri:

“Mais do que uma memória justificativa sobre um projeto de cenografia, “Arquitetura, Cinema, Tradição: Cenografia e Vida em FOGO MORTO” é um trabalho de desnudamento do processo de criação da autora, valendo inclusive pelo seu caráter pedagógico bem estruturado, bem escrito e bem paginado, esse livro de textos e fotos tem assim, além das qualidades intrínsecas, a utilidade de transmitir a outros profissionais o legado de uma experiência – uma experiência que, independente do produto final, que não está em julgamento – é exemplar porque revela a seriedade de comportamento de um profissional diante de um desafio proposto”.

1979

XVII Premiação Anual: MENÇÃO HONROSA, na categoria Trabalhos Escritos, com Patrimônio Histórico, uma Experiência no  Rio de Janeiro: o Inventário de Bens Imóveis de Interesse Histórico e Artístico, Objetivos, Métodos e Resultados. Parecer do júri:

“O trabalho representa, antes de tudo, um gesto de reverência para com a memória cultural de nossa comunidade. Além de suas qualidades mais evidentes – uma implacável metodologia aliada a uma invejável capacidade de coordenar equipe – esse inventário revela também um comportamento exemplar: ele é uma espécie de prestação de contas profissional. É o registro da experiência de quem esteve à frente de um serviço público com a consciência de servir. O júri gostaria de ver essa atitude, rara, transformada em praxe pelo menos da nossa categoria”

1981

XIX Premiação Anual: PRÊMIO, na categoria Trabalhos Escritos, com Patrimônio Histórico e Estrutura Urbano, Três Ensaios; parecer do júri:

“Os três ensaios são excelentes, revelando um amadurecimento da autora e, ao mesmo tempo, uma inquietação em busca de novos instrumentos que possibilitem outras leituras do quadro construído. O trabalho deve ser divulgado, pois é do maior interesse não só para os que entendem do assunto, como para a população em geral”.

1985

XXIII Premiação Anual: PRÊMIO RODRIGO DE MELO FRANCO na categoria Trabalhos Escritos, com Tipologia e Centralidade dos Marcos Religiosos no Rio de Janeiro Colonial; parecer do júri: Os dois ensaios reunidos neste texto tratam dos marcos religiosos do Rio Colonial, embora sob perspectivas diversas.

No primeiro deles foi adaptada uma abordagem tipológica, isto é, voltada para o estudo dos tipos identificados através de seus programas, partidos e soluções construtivas.

O segundo ensaio aborda a contribuição prestada pelos marcos religiosos coloniais do Rio de Janeiro à organização do território urbano. Nele se comprova como esses marcos, integrando uma rede de unidades tipologicamente afins e espacialmente dispersas, atuaram enquanto instauradoras de centralidade, na medida em que, por relações de continuidade e de paralelismo, foram transmitidas ao território as indicações direcionais privilegiando o sagrado e engastadas na própria estrutura do templo.

Neste e em outros trabalhos da autora – tais como “Os Três Centros do Rio” e “Marcos Históricos e Estruturas Espaciais” – e no que tange especialmente aos maxielementos situados no centro do Rio de Janeiro, foi estudada a sua contribuição passada e presente como geradora de unidades espaciais significantes em termos locais e, até mesmo, nacionais.

Embora independentes, os dois ensaios são tematicamente complementares, fornecendo, um e outro, subsídios para a avaliação e valorização da contribuição atualmente prestada para a organização do espaço urbano pelos marcos religiosos edificados na cidade do Rio de Janeiro, no período colonial.

1986

XXIV Premiação Anual: MENÇÃO HONROSA, na categoria Trabalhos Escritos, com Arquitetura Devocional e Paisagem Litorânea no Rio de Janeiro Colonial; parecer do júri:

“A Menção ao trabalho de Rachel Sisson se deve ao esforço empreendido, com a sistemática e competência intelectual, para a compreensão de um aspecto muitas vezes relegado ao segundo plano em meio aos estudos sobre arquitetura religiosa no Rio de Janeiro. Não lhe faltaram diligência na pesquisa e nem inteligência para tornar o tema, de que poucos desconfiavam da existência, em um objeto de estudo sério”.

1989

XXVII Premiação Anual: PRÊMIO, na categoria Pesquisa, Ensaio e Crítica, com Espaços e História, uma Reflexão sobre o Rio de Janeiro; parecer do júri:

“Pela precisão conceitual e originalidade da articulação da lógica da organização do espaço da cidade e de questões do sentido do discurso da cidade”.

1990

XXVIII Premiação Anual: PRÊMIO, na categoria Pesquisa, Ensaio e Crítica, com Rio de Janeiro, 1870/1945: Escolas Públicas do Primeiro Grau – Inventário, Tipologia, História; parecer do júri:

“A pesquisa Escolas Públicas do Primeiro Grau – Inventário, Tipologia, História, também alcançou, por consenso, o prêmio IAB/RJ, nesta linha de estudos historiográficos[1]. O trabalho da conhecida arquiteta confirma o nível de seus estudos, estruturados aqui em conjunto, que soube ordenar, com base em afinidades históricas, tipológicas e distributivas. O artigo resumido a pesquisa saiu publicado na Arquitetura Revista da FAU/UFRJ, vol.8, 1990, com dezessete páginas.

1992

XXX Premiação Anual: MENÇÃO HONROSA, na categoria Pesquisa, Ensaio e Crítica, com Arquitetura e Positivismo no Rio de Janeiro do Oitocentos, parecer do juri:

“Instigante e provocativo, o ensaio de Rachel Sisson abre interessantes perspectivas para o estudo das raízes históricas e conceituais dos aspectos da produção da arquitetura no Brasil.

Valorize-se o esforço de reportagem da autora, que confere densidade de informações e objetividade no Ensaio”.

 

DO INSTITUTO NACIONAL DE CINEMA, posteriormente EMBRAFILME

1973

Premiação “Os Melhores de 1972”: TROFÉU HUMBERTO MAURO, primeiro lugar pela direção do documentário em curta metragem: Debret: Aquarelas do Rio;

1975

Premiação “Os Melhores de 1974”: TROFÉU HUMBERTO MAURO, terceiro lugar pela direção do documentário em curta metragem: Fazendas de Café: Memórias.

2003

PREMIAÇÃO E MESA REDONDA “ARQUITETAS E ENGENHEIRAS – MULHERES À FRENTE DE SEU TEMPO”, no dia 11 de junho, promovida pelas entidades de Arquitetura e Engenharia do Rio de Janeiro e pelo RIO DESIGN CENTER – LEBLON.

Designada por unanimidade do Conselho Consultivo da SEAERJ – Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro – como representante da entidade no evento, .

 

EXPOSIÇÕES

 

1950

LV Salão Nacional de Belas Artes, Ministério da Educação e Saúde – Paisagem – menção honrosa;

1957

VI Salão de Arte Moderna – Ministério da Educação e Cultura – nº 211 – Retrato de Marte;

1966

Coordenadora, exposição apresentada pelo Comitê Brasileiro da Conferência Internacional de Serviço Social – CBCISS na referia conferência (Washington, 4 a 10/09/66) e acompanhando o relatório da CBCISS sobre “Desenvolvimento Urbano e Implicações para o Bem-Estar Social”;

1981

Exposição “Premiação IAB/RJ – DÉCADA DE 60/REAVALIAÇÃO”, promovida pelo IAB/RJ na sede da entidade. Expositora convidada;

 

Exposição “Premiação IAB/RJ – DÉCADA DE 70/REAVALIAÇÃO”, promovida pelo IAB/RJ na sede da entidade. Expositora convidada

 

Apresentação da exposição “Premiação IAB/RJ – DÉCADA DE 70/REAVALIAÇÃO”, na Universidade Santa Úrsula (19 a 24 de outubro);

1991

Exposição “Um Rio que Flui em Nossa Vida – Rio de Janeiro, Arquitetura e Ambiente”: promovida pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro: expositora convidada (27/08 a outubro)

 

VÁRIOS

1973

Júri, V Mostra Internacional do Filme Científico, promovida pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado da Guanabara,  Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Instituto Nacional do Cinema;

1978

Participação no Corpo de Jurados da XVI Premiação Anual do Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro;

1982

Membro eleito do Corpo de Jurados do Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil;

 

Participação na Banca Examinadora dos Trabalhos de Defesa de Tese da Disciplina de Planejamento Integrado do Curso de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Integradas Bennett (11 de agosto);

1987

Membro eleito, Corpo de Jurados do IAB/RJ;

 

Participação no júri da XXV Premiação Anual do IAB/RJ e da Premiação Nacional de 1987, comemorativa dos 25 anos da Premiação Anual instituída pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento Guanabara, posteriormente Departamento do Rio de Janeiro;

1988

Participação na Comissão Examinadora do Concurso Público e de Transferência de Categoria Funcional para provimento de cargos das categorias funcionais de Engenheiro (Civil, Florestal, Mecânico e Eletricista), Arquiteto e Geólogo do Quadro Permanente do Município do Rio de Janeiro.

1999

Membro da Comissão Julgadora da XXXVII Premiação Anual do IAB/RJ – Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de Janeiro.

 

ATUALIZAÇÃO

 

PARTICIPAÇÃO EM ASSOCIAÇÕES

1978/1980

Secretária Geral do Comitê Brasileiro do ICOMOS, reconduzida para o biênio 80/82;

1988

A partir dessa data, designada Coordenadora dos Comitês Temáticos do Comitê Brasileiro do ICOMOS;

1993 

Convidada para ocupar uma das três vice-presidências da Assembléia Geral do ICOMOS, realizada no Sri-Lanka.

1994

 A partir desse ano passou a participar como conselheira do Conselho Empresarial do Meio Ambiente, da Associação Comercial do Rio de Janeiro;

1996 

Convidada como membro e palestrante para a reunião havida em Oxford da Brazilian Studies Associationa

1996

Membro  da Associação Internacional de Lusitanistas

 

ATIVIDADES PROFISSIONAIS EM ARQUITETURA E URBANISMO

1975 

Belém do Pará, uma avaliação: monumentos e prédios de interesse histórico e artístico e seu contexto urbano. Belém, 19 a 23.02.75 e Rio, 24.02 a 04.03.75.

Assessoria local: Arq. Gilberto de Andrade Lima Filho; fotos: Eder Accorsi Jr. Este trabalho foi uma contribuição setorial ao plano diretor de Belém do Pará.


 

[1] O júri se refere às três linhas de estudo que identificou, em 1990, nos trabalhos apresentados na categoria Pesquisa, Ensaio e Crítica, uma delas a de pesquisas monográficas histórico-artísticas.